Observatório UniFG recebe pesquisadores do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade

Publicado em 27 de abril, 2018, em Destaque, Notícias

A UniFG – Centro Universitário – recebeu, na última segunda-feira (23), uma equipe do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Aquática Continental (CEPTA), vinculado ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A equipe veio visitar a região de Guanambi, local onde foram encontradas pequenas lagoas com a presença de peixes da família Rivulidae (ordem Cyprinodontiformes), uma das quatro mais diversificadas entre as 39 famílias de peixes de água doce do Brasil, espécie ameaçada de extinção.

Por meio de uma publicação de artigo do Prof. Carlos Magno Clemente, a equipe do ICMBio entrou em contato com o Observatório UniFG do Semiárido Nordestino e firmou parceria com a instituição para que ações de cooperação científica sejam firmadas. “Elaboramos um projeto de pesquisa e, junto com a parte de georreferenciamento do Prof. Carlos Magno, traçamos um plano de ação”, afirma Wellington Peres, pesquisador do ICMBio.  A partir da parceria firmada com o Observatório, os pesquisadores vão monitorar as mais de 600 pequenas lagoas que contém peixes da família Rivulidae, além de mapear outros locais que apresentam peixes em risco de extinção.

A analista ambiental do ICMBio CEPTA, Izabel Boock, que coordena o Plano de Ação Nacional para Conservação dos Peixes Rivulídeos Ameaçados de Extinção, afirma que o projeto já está em andamento há cerca de quatro anos e agora conta com a parceria do Observatório. “Escolhemos a UniFG para trabalhar conosco em nosso plano de ação pela estrutura que a universidade possui e pelo trabalho e experiência em geoprocessamento do Observatório UniFG, que vai auxiliar nossas ações de conservação dos peixes anuais da bacia do rio das Rãs”, afirma.

Os rivulídeos são peixes de pequeno porte, raramente chegando aos dez centímetros de comprimento total, que vivem em ambientes aquáticos muito rasos, parcial ou completamente isolados de rios e lagos, como as áreas marginais de riachos ou brejos. As características mais marcantes são os diferentes padrões de colorido das espécies e seus tipos de desenvolvimento, anual e não anual. Os peixes anuais são encontrados em ambientes aquáticos sazonais, que são formados durante as épocas chuvosas e podem permanecer secos por longos períodos, sobrevivendo durante os meses da estação seca, eclodindo logo após as primeiras chuvas.

Mapas Interativos Geoinformações sobre o Semiárido Nordestino Mapas Diversos Geoinformações sobre mapas dirversos Assine nossa newsletter Receba notícias, boletins e publicações Biblioteca do Semiárido Artigos, relatórios, teses, dissertações e monografias

PESQUISAR


ÚLTIMAS NOTÍCIAS MAIS NOTÍCIAS

Av. Barão do Rio Branco, 459, Centro
Guanambi - BA, 46430-000

Tel.: 77 3451-8400
E-mail: observatorio@centrouniversitariounifg.edu.br

Sigan-nos:
Todos os Direitos Reservados. Faculdade Guanambi.